A Freira (The Nun)

September 9, 2018

Em 06 de setembro de 2018 entrou em cartaz um dos filmes de terror mais esperados do ano - A Freira. Distribuído pela Warner Bross e dirigido por Corin Hardy, com aproximadamente 1h37min, o longa promete dar continuidade a franquia de Invocação do Mal.

A narrativa se passa na Romênia, quando uma das freiras do Convento de Santa Carta, comete um susto suicídio, isso leva ao Vaticano questionar o quanto o local permanece sagrado. Na ocasião, o Padre Burke (Demian Bichir), representando o Vaticano, é enviado para investigar o ocorrido, juntamente com a noviça Irene (Taissa Farmiga). A investigação leva à descobertas assustadoramente profanas, despertando o mal presente no convento há séculos! Na verdade, o demônio denominado Valak precisa de um corpo para entrar no mundo. Juntos, o Padre Burke, a Irmã Irene e o Franco-Canadense Frenchie (Jonas Bloquet) terão de impedir que tal desgraça possa acontecer, enfrentando seus medos e suas frustrações.

Opinião

De maneira bem objetiva e direta, pode-se dizer que A Freira é mais um daqueles filmes que só servem para dar sustos. Para isso, os elementos utilizados foram a ambientação claustrofóbica e escura, conduzindo o público por uma construção de arquitetura antiga.

O longa abusa dos clichês, como no comportamento idiota dos personagens, quando insistem em se separar dos demais em uma situação real de perigo iminente! Mesmo estando morrendo de medo, ao contrário do que qualquer um faria, aqui o personagem decide simplesmente ignorar o medo, e vai ao encontro do perigo!

Está mais pra uma caçada no típico Van Helsing (não me apedrejem - é apenas um ponto de vista)!

Outra ferramenta, por sinal bem aplicada no longa é a sonoplastia, com técnicas que variam entre o silêncio (anunciando o perigo), ruídos incômodos (que aguçam o medo) e o estrondo repentino (jump scare).

O movimento de câmera é muito bem utilizado também, com planos semi abertos e fechados. Isso incomoda, do ponto de vista do terror, por causar a sensação de claustrofobia.

Alguns comentários apontaram o uso de algumas piadinhas como desnecessárias e pastelonas, eu consideraria unicamente como alívio cômico - portanto, não atrapalha a experiência do terror.

É preciso entender qual o propósito do filme, que a meu ver, é ser um blockbuster recheado de jump scare.

Falando da organização do roteiro, no primeiro ato o filme busca explicar o que está acontecendo e faz uma breve apresentação tanto do cenário quanto dos personagens;

O segundo ato é a investigação em si, momento em que o filme abusa dos jump scare;

Por fim, o terceiro ato é o já esperado, é possível dizer que houve um pequeno plot twist, mas que não é utilizado diretamente na trama, portanto, nenhuma surpresa.

Particularmente eu prefiro terror psicológico.

A Freira é um filme divertido, se você gosta do gênero terror com uso de jump scare eu diria que este é um filme pra você. Minha sugestão seria um 3D numa sala com I-Max.

A nota do filme é 8,0.

E você, assistiu A Freira? concorda com os meus comentários? Deixe seus comentários!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Basic Black
Please reload

Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
Por Trás do Papo Livre
Leitura Recomendada

© 2023 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com

Visto em

    Gostou da leitura? Doe agora e me ajude a proporcionar notícias e análises aos meus leitores  

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now